Blog EAD Plataforma Sala de Aula Invertida 30-09-2019

O que é sala de aula invertida e como ela pode tornar o ensino mais ativo?

Em um mundo onde tudo está se modernizando, as metodologias de ensino também não ficam para atrás. A sala de aula invertida é um exemplo dos avanços da educação.

Vamos admitir, parece difícil de imaginar uma troca de papéis no modelo clássico de educação que estamos acostumados a ver, não é mesmo?

Porém, saiba que essa mudança já está acontecendo e vem beneficiando tanto aos alunos, quanto aos professores. Sendo assim, que tal conhecer mais sobre esse tema?

O que é a sala de aula invertida?

Sala de aula invertida é a tradução do termo em inglês flipped classroom. Essa metodologia de aprendizagem é baseada nos conceitos de ensino híbrido, que combina características do ensino a distância e presencial.

O objetivo da sala de aula invertida é preparar os alunos para as aulas presenciais, por meio de recursos de educação a distância.

Videoaulas, artigos científicos, podcasts, livros, textos, infográficos entre outros materiais podem ser utilizados para viabilizar esse processo.

Ao invés de fazer a tradicional lição de casa, os estudantes devem consumir esses conteúdos, de acordo com a orientação dos professores.

Ou seja, a ideia é que o aluno aprenda sobre o tema previamente em sua casa. Assim, ele chegará para as aulas pronto para desenvolver atividades, discutir o tema e tirar dúvidas.

Por que utilizar a sala de aula invertida?

Prender a atenção dos alunos hoje em dia, que são de uma geração ultraconectada, é um desafio para qualquer instituição educacional ou professor.

Portanto, é preciso pensar em maneiras de tornar o processo de ensino mais dinâmico, evitando que os alunos se distraiam, por se sentirem entediados.

Em outras palavras — e de forma um pouco mais direta — ninguém deseja que os alunos achem as suas aulas chatas. 

A sala de aula invertida é o que chamamos de uma metodologia ativa de ensino. Ela coloca o aluno no centro do processo aprendizagem, fazendo com que ele aprenda as matérias das aulas na prática.

Por isso, são trabalhados formatos de conteúdo que gerem o debate sobre o assunto. Tais como discussões em grupo e estudos de caso, por exemplo

Isso porque, a interação com outros indivíduos faz com que as pessoas aprendam de maneira mais fácil sobre um determinado assunto. 

O que é bem diferente da metodologia instrucional, com a qual a maioria de nós está acostumada. Nela os alunos aprendem prestando atenção no professor.

Neste caso, a matéria e as atividades são aplicadas em sala de aula, na maioria das vezes de maneira individual. Vamos admitir, o que costuma ser, realmente, meio entediante mesmo.

Além disso, a sala de aula invertida permite que alunos e professores aproveitem muito mais o tempo em sala de aula.

O fato da matéria ser consumida em casa é um grande benefício. Assim, as atividades que ajudam os estudantes a absorverem as informações podem ser desenvolvidas com mais qualidade.

Por essas razões, esse modelo educacional tem conquistado cada vez mais adeptos, além de obter sucesso em seu propósito. Que é tornar o processo de aprendizagem mais descomplicado e eficaz.

Como utilizar a sala de aula invertida em minha instituição?

Se a sua ideia é começar a utilizar a sala de aula invertida na sua instituição de ensino, separamos algumas dicas para você. Confira abaixo!

Utilize um AVA: O Ambiente Virtual de Aprendizagem é o melhor lugar para você disponibilizar os materiais aos alunos. Basta ele acessar com um login e senha e voilá! Todos os conteúdos estarão reunidos em um único lugar.

Vá direto ao ponto: Ofereça materiais objetivos para os seus alunos, nada de vídeos de 2h ou artigos com 10 mil palavras. Basicamente, pense em como você pode disponibilizar conteúdos que sejam breves e eficazes.  

Faça vídeos curtos: De acordo com um dos pioneiros do método, Jon Bergmann, os vídeos disponibilizados aos alunos devem ser rápidos. O recomendado é que eles tenham entre 3 e 7 minutos.

Eduque seus alunos sobre o método: No momento de trabalhar a sala de aula invertida é importante explicar aos alunos como funcionará o processo. Por isso, certifique-se de reservar um momento para fornecer instruções e tirar dúvidas do corpo discentes.

Faça testes: Não se prenda às regras, vá testando formatos diferentes de materiais até encontrar o mais eficaz. Por exemplo, enviar textos não tem dado o devido retorno? Parta para as videoaulas!

Foque na interação: Por fim, lembre-se que o objetivo dos materiais deve ser o de instigar seus alunos a interagirem dentro da sala de aula. Sendo assim, foque em conteúdos que instiguem a sua curiosidade e gerem discussões construtivas.

Conclusão: A sala de aula invertida é o futuro da educação

Em resumo, a sala de aula invertida tem tudo para melhorar o processo de aprendizagem, para alunos e professores também. É claro, quando aplicado da forma correta.

O número de colégios que estão aderindo a essa metodologia é cada vez maior. As instituições que não começarem a considerá-la, podem acabar ficando obsoletas.

Aliás, em uma reportagem de 2016, da Folha de São Paulo, encontramos um case de sucesso de sucesso sobre essa metodologia.  

O professor de história, Eric Rodrigues, reduziu em 50% o índice de reprovação em sua disciplina, utilizando a sala de aula invertida. O caso ocorreu na Escola Municipal Emílio Carlos, no Rio de Janeiro.

Viu só? Vale muito a pena colocar em prática essa formato!

Inclusive, caso você precise de ajuda para construir um ambiente virtual de aprendizagem para os seus alunos, não deixe de nos consultar.

A EAD Plataforma conta com soluções completas para ajudar instituições de ensino a distância e semipresencial. Fale conosco e entenda como podemos te auxiliar.