como fazer marketing pessoal

Como fazer marketing pessoal? 6 passos indispensáveis

Em um mercado de trabalho cada vez mais acirrado, é essencial entender como fazer marketing pessoal. Sabe por quê?

Bom, só para começar, 78% dos recrutadores dizem que as referências profissionais são determinantes para encontrar os melhores candidatos (de acordo com uma pesquisa da Jobvite). 

E como conseguir boas referências? Justamente fazendo um bom marketing pessoal!

Depois, é legal saber que essa estratégia é válida não só no trabalho, mas também em vários momentos da nossa vida. 

Afinal, cultivar uma boa imagem (e boas atitudes!) ajuda a passar confiança nos relacionamentos, nas amizades e em qualquer outra relação interpessoal.

Se você quer aprender como fazer marketing pessoal, continue a leitura! Reunimos 6 atitudes fundamentais para começar a aplicar agora mesmo. Vamos lá? Boa leitura!

Por que é importante fazer marketing pessoal?

Porque é isso que fará com que os outros saibam de suas qualidades. O marketing pessoal, assim como outras estratégias de comunicação, visa “divulgar” uma imagem – neste caso, a sua própria.

Portanto, cuidar do seu marketing é realçar as suas características fundamentais, tanto pessoais como profissionais.

E isso é uma atividade contínua, pois o marketing pessoal serve tanto para conseguir um emprego quanto para se manter respeitado e reconhecido na função. Ou, quem sabe, para vender seus próprios serviços!

Mas cuidado: a linha entre a autovalorização e o exagero de qualidades é muito tênue. Por isso, é importante seguir um passo a passo para saber como fazer marketing pessoal de forma justa – sem que isso represente uma armadilha para você lá na frente.

Confira na sequência!

6 passos para entender como fazer marketing pessoal

1. Conheça você mesmo

Pensa com a gente: não dá para fazer marketing sobre algo que não se conhece bem – seja um produto, um serviço ou uma pessoa. 

Se você é sua marca, o primeiro passo de como fazer marketing pessoal da forma correta é entender tudo sobre si.

Quais são seus pontos fortes, que precisam ser destacados (e divulgados)? Quais são os pontos fracos a serem melhorados? Por mais que você não mostre suas fraquezas aos outros, essa autorreflexão serve para te manter na rota de melhorias.

Outras perguntas a se fazer são as seguintes.

Que imagem você quer passar? 

De alguém atencioso, comprometido, educado, eficaz, ágil? O que será feito, então, para que essas qualidades “saltem aos olhos” das pessoas? 

Tanto para conseguir um novo emprego quanto para vender seus serviços, a imagem é fundamental.

Como está sua linguagem corporal? 

Você cuida da sua postura? Faz contato visual com os outros durante uma conversa? Mostra interesse sincero no que falam para você?

Pode não parecer, mas o corpo diz muita coisa. Mais abaixo, trouxemos uma dica de livro sobre esse assunto!

2. Defina seus objetivos

Depois dessa, digamos, “sessão de autoconhecimento”, vem outro passo muito importante para entender como fazer marketing pessoal: definir seus objetivos de curto, médio e longo prazos.

Se, de imediato, você desejar um novo trabalho, pode começar a trabalhar o marketing pessoal focado nisso – assistindo a vídeos sobre como se portar numa entrevista, por exemplo.

Outros objetivos podem ser a venda de seus produtos pela internet ou mesmo aumentar sua rede de contatos profissionais. Para cada um, é essencial que você trace metas alcançáveis!

Leia também: O que é marketing de afiliados? Como ele pode te ajudar a ganhar dinheiro online?

3. Use a tecnologia a seu favor

Apesar da correria desse mundo ultraconectado, uma coisa que ele nos oferece em troca é a possibilidade de usar tecnologias para fazer marketing pessoal. 

E isso é mais importante do que nunca, já que 90% dos recrutadores fazem pesquisas online na hora de selecionar candidatos para vagas (segundo a Forbes).

Uma boa estratégia é manter uma conta sempre atualizada no LinkedIn. Nessa rede social, são mais de 750 milhões de usuários ativos no mundo todo – e a cada minuto 3 pessoas são contratadas via LinkedIn (de acordo com dados da própria empresa).

Ainda dentro das ferramentas tecnológicas, você pode criar um blog. Produzir conteúdo é uma bela forma de criar autoridade para si mesmo – e, de quebra, passar o seu conhecimento adiante.

Ah, e “conhecimento” é justamente o que nos leva ao próximo tópico!

4. Capacite-se sempre

A especialização é primordial em vários momentos do trabalho – e não é diferente quando falamos de marketing pessoal. Isso porque a atualização é o que fará você potencializar os pontos fortes, bem como suprir as necessidades dos pontos fracos.

Uma boa dica é procurar cursos na sua área específica – mas também em habilidades fundamentais no mundo dos negócios, como técnicas de persuasão.

Além disso, você pode investir na leitura, já que existem vários livros que podem melhorar suas relações profissionais. Veja algumas sugestões!

Personal branding

Aqui, o autor aborda justamente o tema desta matéria, com dicas práticas para construir sua imagem pessoal.

Desvendando os segredos da linguagem corporal

Um pouco mais acima, falamos da importância da postura e de outras expressões do corpo. Esse livro mostra que 93% da comunicação humana é feita justamente através da linguagem corporal.

Nunca almoce sozinho

Nessa leitura, você perceberá como até mesmo as situações mais simples do dia a dia podem ajudar nas suas relações interpessoais.

5. Invista na sua própria comunicação

Mais um passo do marketing pessoal é criar materiais de comunicação que promovam o seu trabalho – e que, consequentemente, mostrem os seus diferenciais.

Um desses materiais é o currículo. É ideal mantê-lo sempre em ordem – e tomar bastante cuidado com erros de português e definições muito genéricas, que pouco agregam na construção da sua imagem. Esse vídeo pode te ajudar:

Também vale a pena montar um portfólio. E se você acha que ele serve apenas para gente do mundo das artes, está muito enganado! 

Em muitos casos, o portfólio pode contar uma história – que mostra a fundo quem você é e o que já fez da vida.

Para isso, dá para usar técnicas de storytelling. Confira aqui:

6. Amplie seu networking

No início deste passo a passo, ressaltamos que a rede de contatos profissionais pode ser um dos seus objetivos. Por mais que você não defina isso como prioridade, ainda assim é importantíssimo nas estratégias de como fazer marketing pessoal.

Afinal, ao conhecer mais gente, é possível ampliar as possibilidades e descobrir novos mercados e empresas (e novos clientes, por que não?). 

Veja algumas dicas para melhorar o seu networking!

Participe de encontros online 

Com a popularização das lives, hoje existem feiras e ciclos de palestras acessíveis na palma da mão. É legal procurar eventos no YouTube, que geralmente são gratuitos, ou em sites como o da EAD Plataforma.

Integre fóruns de comunidade

Compartilhar seu conhecimento (e aprender com os outros) é muito bom para a construção da sua imagem. Os fóruns estão em alta – e podem ser uma alternativa para você.

Crie seu próprio workshop 

Com tanta tecnologia à disposição (como as plataformas EAD), ficou bem fácil administrar seu evento. Além de renderem dinheiro, esses conteúdos são fundamentais para “vender o seu peixe” e aumentar sua relevância no mercado.

Gostou? Então é hora de iniciar sua trajetória!

Esperamos que essas dicas tenham ajudado você a entender mais sobre a importância do marketing pessoal. Agora, chegou o momento de seguir esses 6 passos e ter mais sucesso profissional!

Que tal aproveitar e conferir outros conteúdos que ajudarão no seu desenvolvimento? Veja essas sugestões:

Fabio Godoy