indicadores-treinamento-desenvolvimento

8 indicadores de treinamento e desenvolvimento para medir o desempenho dos seus colaboradores

Se crescer coletivamente é um dos objetivos do seu negócio, você precisa conhecer os melhores indicadores de treinamento e desenvolvimento para acompanhar na empresa.

Ter boas métricas como aliadas permite um entendimento profundo sobre o valor agregado aos cursos e práticas e à forma como eles impactam na rotina dos colaboradores e nos resultados da empresa. 

Ao longo do artigo de hoje, você vai conhecer os 8 mais importantes Indicadores de treinamento e desenvolvimento para acompanhar: 

  1. Aproveitamento individual
  2. Taxa de adesão
  3. Taxa de abandono
  4. Tempo médio de investimento em T&D por pessoa
  5. Avaliação de reação
  6. Custo per capita
  7. ROI
  8. Indicadores do negócio

Por que é importante mensurar treinamento e desenvolvimento? 

Pode parecer uma pergunta óbvia, mas, na verdade, entender a importância de mensurar treinamento e desenvolvimento traz ganhos incontáveis. Quer ver só? 

  • Ajuda a orientar investimentos; 
  • auxilia na viabilização de projetos e captação de apoio;
  • permite entender quais os tipos de conteúdos digitais melhor recebidos pelos colaboradores;
  • possibilita a criação de relatórios robustos para o setor de RH;
  • ajuda a entender os desafios do setor;
  • permite rastrear a eficácia de projetos e treinamentos;
  • possibilita o entendimento dos níveis de aproveitamento dos colaboradores;
  • auxilia na construção de métricas mais aprofundadas, como a relação do aproveitamento nos cursos x taxas de retenção na empresa;
  • ajuda a criar estratégias de engajamento e motivação dos alunos/colaboradores. 

Agora que você já está a par dos benefícios, que tal conhecer 8 indicadores de treinamento e desenvolvimento que te ajudarão a encontrar os resultados acima? 

8 indicadores de treinamento e desenvolvimento para seguir 

Para garantir que um projeto ou investimento gere valor a um negócio, é fundamental encontrar formas efetivas de mensurar seus resultados. Pensando nisso, separamos 8 indicadores de treinamento e desenvolvimento para acompanhar o andamento da educação corporativa na sua empresa. 

1. Aproveitamento individual

A ideia do indicador de aproveitamento individual é medir o nível de transformação obtido na rotina após a realização do treinamento. 

Isso é feito por meio de uma comparação do desempenho. Se os resultados obtidos após a realização do treinamento forem melhores do que aqueles obtidos antes, o índice é positivo. 

Além de ajudar a mensurar o aproveitamento dos colaboradores e a efetividade do treinamento empresarial oferecido, este indicador também tem uma outra função estratégica.

Por meio do reconhecimento dos funcionários com melhor aproveitamento, é possível recrutar um time de multiplicadores internos. A função destes colaboradores é transmitir conhecimento a outros membros da equipe e garantir uma boa gestão do conhecimento na organização. 

2. Taxa de adesão

O segundo indicador de treinamento e desenvolvimento é a chamada taxa de adesão. Ele calcula quantos colaboradores realmente participaram das atividades e qual foi a porcentagem de evasão do treinamento. Isso porque especialmente quando falamos em módulos presenciais, a taxa de não-comparecimento aos cursos e atualizações é grande nas empresas. 

Para calcular a taxa de adesão é necessário contabilizar a presença dos colaboradores nos cursos (caso o treinamento seja na modalidade EAD, é possível fazer este cálculo com base nas ferramentas de gestão disponíveis na própria plataforma LMS!) e compará-la com o número de inscritos.

Veja este exemplo: se 100 pessoas se inscreveram em um curso, mas apenas 65 participaram, a taxa de adesão é de 65%. 

3. Taxa de abandono

O “outro lado da moeda” da taxa de adesão é o indicador de abandono. Ele foca no número de colaboradores que não completou o treinamento.

Colocar a taxa de abandono entre os indicadores de treinamento e desenvolvimento é importante para encontrar oportunidades de melhoria. Se falarmos de cursos longos, por exemplo, a taxa de abandono (ou evasão) pode ser um bom indicador da necessidade de encurtar o conteúdo ou até mesmo segmentar o curso. 

4. Tempo médio de investimento em T&D por pessoa

Esse indicador mede a quantidade média de horas dedicadas ao treinamento e capacitação de cada funcionário. Seu resultado possibilita a comparação do tempo total investido em treinamentos com o volume de horas trabalhadas.

Vamos a um exemplo prático que ajuda a entender como o indicador funciona. Se sua empresa dedica uma média de 100 horas de treinamento por funcionário a cada ano, e a carga anual trabalhada se aproxima das 2 mil horas, o resultado do indicador é de 5%. Isso significa que 5% das horas do colaborador dedicadas à organização foram utilizadas para treinamento, desenvolvimento e capacitação. 

Cabe às organizações definir metas ideais de porcentagem de acordo com os objetivos estratégicos do negócio. 

Para você ter uma ideia próxima da realidade do nosso país, veja o que diz o último Panorama do Treinamento no Brasil. O estudo mostrou que o volume anual em horas de treinamento realizado por colaborador cai a cada ano nos últimos 3 anos. A média brasileira este ano é de 15 horas de treinamento por colaborador, o que representa uma queda de 17% em relação ao ano anterior. 

5. Avaliação de reação

O quinto item da nossa lista de indicadores de treinamento e desenvolvimento acompanha a reação dos colaboradores em relação à formação.

A medição deve acompanhar as percepções em diferentes aspectos do curso, como: 

O indicador pode ser medido com o apoio de uma pesquisa de satisfação entre os colaboradores, por exemplo. 

6. Custo per capita

O custo per capita permite ao setor de RH calcular quanto a empresa gasta com o treinamento e o desenvolvimento de cada colaborador. 

O cálculo do custo per capita demanda o conhecimento do custo total dos treinamentos (o que inclui gastos de logística, material, transporte, alimentação, sistemas — no caso da metodologia EAD — etc.). Com o número em mãos, é preciso dividi-lo pelo número total de colaboradores que participaram da formação. 

Para você ter uma ideia, o Panorama do Treinamento no Brasil, citado anteriormente neste artigo, mostra os seguintes números para o custo per capita de treinamentos no país (média por ano e média por setor): 

7. ROI

Será que os gastos com treinamento estão trazendo resultados efetivos para o negócio? A melhor forma de encontrar essa resposta é conhecendo o ROI (Retorno Sobre o Investimento, ou, em inglês, Return Over Investment). 

O cálculo do ROI é obtido a partir da relação entre os benefícios obtidos com o curso e o total de custos demandados pela realização deste. O ROI é o resultado da divisão do primeiro pelo segundo, e resultados maiores apontam uma melhor relação custo-benefício para a empresa. 

8. Indicadores do negócio

O último item da lista de indicadores de treinamento e desenvolvimento não está diretamente relacionado ao tema. 

Mas como assim? — você pode estar se perguntando. 

Nós respondemos: os indicadores estratégicos do negócio também podem ser importantes termômetros para acompanhar o aproveitamento do time de colaboradores em cursos e atualizações corporativas. 

Pense com a gente: se a empresa precisa aumentar a produtividade de um setor operacional e investe em um maquinário novo para isso, será preciso treinar os colaboradores do setor para utilizá-lo da forma correta.

Se, após o período de treinamentos, os índices de utilização do maquinário estiverem impactando positivamente nos resultados de produtividade, poderemos afirmar que os treinamentos também foram bem sucedidos! 

Viu só como uma organização funciona como um corpo humano inteiramente conectado? 

Conhecer os indicadores de treinamento e desenvolvimento que melhor se adequam à realidade da empresa é fundamental para obter projetos mais orientados para resultados. 

E por falar em orientação para resultados…sua empresa já pensou em transformar a rotina de T&D em uma estrutura robusta de educação continuada? Se sua resposta for sim, você precisa ler nosso artigo sobre como implantar uma universidade corporativa em 5 passos essenciais!

Fabio Godoy