Como fazer uma apostila de curso

15 dicas de texto + arte: como fazer uma apostila de curso?

Já ouviu falar em “do it yourself”, mais conhecido pela sigla DIY? Então, vamos colocar a mão na massa e te mostrar como fazer uma apostila de curso (online ou presencial). Aliás, esses conceitos também podem ser aplicados para outros materiais: catálogos, portfólio e afins.

O primeiro passo de como fazer uma apostila de curso é considerar a sintonia entre texto e arte. No caso do e-learning, trata-se de um material complementar, ou seja, um bônus para os alunos EAD. Sendo assim, as apostilas devem ser informativas e, ao mesmo tempo, visualmente atrativas. 

Conteúdo: como fazer uma apostila de curso?

Segundo o Google, o conteúdo é o rei. Por isso, a dica de ouro de como fazer uma apostila de curso é “contar histórias” envolventes, com técnicas de storytelling. Dessa maneira, você atrai a atenção do público, enquanto transmite conhecimentos de qualidade.

1. Faça uma pesquisa para embasar o texto

Sua experiência é muito relevante para a construção do conteúdo. Entretanto, não deixe de pesquisar outras fontes para dar mais credibilidade. E, claro, vale citar as respectivas fontes, para dar o devido crédito a quem produziu o material consultado. 

2. Organize o material antes de começar a redigir

A dica aqui é separar o material bruto em tópicos, com o objetivo de categorizar os assuntos. Você pode usar uma técnica chamada tópico frasal, colocando as ideias centrais em ícones. Depois, basta desenvolver o raciocínio da narrativa em parágrafos.

Como exemplo, se você vai dar aula de inglês, que tal organizar sua apostila em capítulos de teoria e prática? Nessa perspectiva, as subdivisões podem ser: vocabulário, gramática, leitura, conversação, dicas de viagem e assim por diante. E, ao final, não se esqueça de fazer um sumário para facilitar as consultas futuras, ok?

3. Considere o público com quem você está conversando

Nesse ponto, um bom exercício é criar buyer personas. Basicamente, são personagens semifictícias que vão representar os diferentes perfis, de modo que você possa dialogar com os públicos de interesse.

Aqui vai um exemplo prático: se você é um professor de música, uma dessas personas poderia ser uma adolescente que ganhou seu primeiro violão e está aprendendo a tocar. O sonho dela é participar do The Voice Brasil, portanto, é alguém que pretende seguir uma carreira musical. 

4. Escreva pensando em leitores leigos

Sim, o óbvio precisa ser dito! Na hora de redigir, deixe seu conhecimento técnico de lado e pense em quem está lendo o conteúdo pela primeira vez. Tente usar exemplos e outros recursos para facilitar a compreensão, como os infográficos. Falaremos mais adiante sobre isso, ok?

Para resumir, você precisa se comunicar de maneira clara, assertiva e didática. É importante redobrar o cuidado com os termos técnicos. E, caso seja necessário incluí-los, explique o que eles significam, logo em seguida.

5. Revise o conteúdo final com atenção

Quando concluir a etapa de redação, tente fazer outra coisa antes de partir para a revisão. Isso porque seu olhar pode ficar “viciado”. Isto é, sua visão se “acostuma” com o que você escreveu e, com isso, alguns erros de grafia e concordância podem passar despercebidos.

Por outro lado, ao mudar o foco e realizar uma atividade diferente por algum tempo, você pode voltar com o olhar mais “afiado”. Assim, fica mais fácil verificar se o texto está claro, conciso e, principalmente, se está transmitindo a sua mensagem, de forma adequada.

Diagramação: como fazer uma apostila de curso?

Se o layout não estiver atrativo o suficiente, pode ser que a pessoa não se interesse em ler o conteúdo até o fim. Logo, mesmo que tenha informações relevantes, o grande truque de como fazer uma apostila de curso é criar um design criativo e organizado, para promover um “passeio” agradável pela leitura.

6. Selecione a ferramenta de diagramação

Essas são algumas opções de software:

  • Adobe InDesign: seus recursos facilitam a aplicação de textos, imagens e símbolos, com  padrões de paginação (margem, numeração automática, configuração da fonte etc.);
  • Adobe Photoshop: aqui fica mais prático editar as imagens com os efeitos que você quer e, depois, exportá-las para o InDesign, que também é do pacote Adobe; 
  • Canva: use os templates pré-prontos, para agilizar o processo de diagramação. Nesse caso, há versões gratuitas e pagas, sendo que a segunda opção tem mais funcionalidades. 
  • Word: sim, você pode diagramar no Word e, ao final, gerar um pdf. Embora seja mais limitado em relação aos demais, é possível formatar parágrafos, cabeçalhos e sumários, selecionar fontes e definir margens. Porém, não é tão simples para editar os elementos visuais.

7. Elabore um projeto gráfico

Crie a identidade visual da apostila, incluindo os elementos gráficos que fazem parte do layout, tais como:

  • Tipografia (família de fontes);
  • Posição dos títulos, legendas e do corpo do texto;
  • Número de colunas;
  • Onde serão inseridas as imagens;
  • E mais!

8. Entenda a lógica do conteúdo antes de começar a diagramar

Para garantir a sintonia entre texto e arte, é essencial que o conteúdo “converse” com a diagramação, “falando a mesma língua”. Em outras palavras, se a linguagem do texto é mais informal, o design pode ser despojado. São elementos que se completam, afinal. 

9. Opte por imagens sem direitos autorais

Selecione imagens que estão liberadas para uso, sem a necessidade de pagar pelos direitos autorais. Esses são três bancos de imagem que têm opções royalties free:

10. Aposte em elementos visuais para otimizar o conteúdo 

Em textos mais densos, você pode apostar nos elementos visuais para facilitar a compreensão. Alguns deles são:

  • Infográficos: ideal para transformar dados estatísticos e outras informações complexas em esquemas visuais de fácil compreensão;
  • Charges e ilustrações: são formas lúdicas de transmitir a mensagem, em especial quando se trata de assuntos polêmicos;
  • Gifs e memes: se o tema for condizente, fique à vontade para incluir gifs e memes na diagramação.

Mais 5 dicas de como fazer uma apostila de curso

11. Aposte na agenda sustentável

Pensando na sustentabilidade, tente usar apenas o formato digital dos documentos, contribuindo para reduzir o uso de papel e, consequentemente, a geração de lixo. A propósito, você ainda ajuda a minimizar os impactos ambientais. 

12. Imprima apenas se for realmente necessário

Se for preciso imprimir sua apostila, busque opções de papel reciclado ou que tenham o selo FSC (Forest Stewardship Council). Por sinal, a certificação FSC indica que o produto vem do manejo responsável das florestas. 

Algumas gráficas utilizam tintas atóxicas e feitas a base de óleo vegetal, máquinas de impressão offset “verdes” e verniz ecológico. Além disso, também se comprometem com a coleta de resíduos gráficos.

13. Cuidado com o plágio

Plágio é o ato de tomar para si a autoria de uma obra intelectual produzida por outra pessoa. Você pode se inspirar em conteúdos, mas não copiá-los integralmente. Isso vale para pesquisas em livros e na web, até mesmo no Youtube, lembrando sempre de citar a fonte original, ok?

14. Inclua exercícios para fixar as informações

A prática leva à perfeição. Assim sendo, é fundamental incluir atividades para dinamizar o aprendizado. Para exemplificar, você pode criar quizzes e trivias, usando esses sites:

15. Inspire-se em estratégias que já estão dando certo

Por meio do benchmarking, você pode se inspirar nas boas práticas de outros infoprodutores, sejam eles concorrentes ou não. Vamos a um exemplo prático: se você quer dar aulas online ou presenciais de automaquiagem, vale a pena conferir as dicas da maquiadora Stéphanie Bentes sobre como fazer uma apostila de curso.

Pronto! Agora que você já sabe como fazer uma apostila de curso, que tal começar a dar aula online? Fale com os consultores da EAD Plataforma, teste os recursos gratuitamente por 7 dias e venha ser um empreendedor digital! 

Afinal, se você tem a vocação de compartilhar conhecimento, nós queremos te ajudar nessa missão! E, por falar nisso, não se esqueça de conferir outros posts do Blog, que podem te ajudar a enriquecer seus infoprodutos.

Fabio Godoy