como criar um curso ead na prática

Como criar um curso EAD na prática? Dicas para conquistar alunos

Saber como criar um curso EAD na prática vem sendo uma dúvida recorrente tanto de empreendedores como de profissionais de educação que desejam transmitir seu conhecimento com eficiência de forma remota. 

Esse é o seu caso, não é mesmo? Então, sem mais delongas, vamos para dicas e estratégias que podem ser bastante efetivas para você que quer saber como criar um curso EAD na prática e, assim, conquistar matrículas e, aos poucos, se tornar uma referência em seu segmento. 

Como criar um curso EAD na prática? 6 dicas vitais para se dar bem 

Descubra, agora, como criar um curso EAD na prática, do zero, de modo prático e sem segredo!

Faça uma autoanálise 

Para se lançar em qualquer tipo de negócio desconhecido, é preciso não só ter coragem e ser dedicado, é fundamental também estudar todo o contexto. 

O que isso significa? Que se você for do ramo de negócios, é essencial que analise se tem o know-how necessário para transmitir o conteúdo abordado e na linguagem certa. Por mais que você seja um profissional experiente, é importante analisar se está atualizado o suficiente para abordar os temas de seu nicho. 

Tem experiência em palestras? Ótimo, mas o conteúdo transmitido virtualmente conta com uma postura e linguagem diferentes. Nesse sentido, vale a pena também estudar sobre essas questões. 

Você já é professor e acha que vai tirar de letra? É muito provável! Contudo, é válido analisar se tem os recursos interativos necessários que conversem bem com o ambiente virtual, visto que só “a boa e velha apostila” não é suficiente para garantir a aprendizagem no ensino remoto. 

Crie a persona do seu curso

A persona nada mais é do que o personagem fictício ideal do seu curso. Criá-la é vital para que suas aulas sejam um sucesso. 

Pense na faixa etária, no gênero, nos hobbies, nos objetivos e nas necessidades de sua persona. Tudo isso o ajudará não só a criar conteúdo alinhado, como também será primordial para que você estabeleça uma boa comunicação com ela. 

Por exemplo, se quiser lançar um curso sobre vendas para e-commerce, você deverá utilizar termos próprios do setor, além de que terá que preparar um conteúdo mais técnico. 

Já se quiser ministrar aulas sobre moda para a geração X, deverá estar atento às gírias tanto do cenário fashion como de seu público, como terá que trazer mais recursos interativos, uma vez que uma audiência mais jovem, geralmente, precisa de mais apelo visual para não se dispersar. 

Tenha um diferencial 

Para ter um diferencial, é preciso estudar o que a concorrência está fazendo. Analise os tipos de cursos que têm mais procura, verifique as abordagens, os valores envolvidos e quem está o promovendo. Afinal, figuras famosas do mercado geralmente conquistam mais alunos devido à reputação. 

Feito isso, pense qual será o diferencial de seu curso para não entregar “mais do mesmo”. Acha que o seu diferencial pode ser o preço? Então, pense duas vezes! Isso porque há cursos gratuitos no mercado. É melhor refletir sobre uma estratégia diferente. 

Para tanto, uma boa sugestão é analisar os maiores medos e os maiores sonhos de sua persona. Com esse estudo em mãos, você conseguirá desenvolver um conteúdo que corresponda e, até mesmo, que supere as expectativas de sua audiência. 

Treine sua apresentação 

Se você for uma pessoa detalhista e prolixa, é crucial treinar como será sua abordagem diante da câmera. Isso é importante porque, em primeiro lugar, o conteúdo de vídeo é mais dinâmico. Em segundo, porque o tempo é mais curto. Aqui, a máxima do minimalismo “menos é menos” cai como uma luva!

Vale ressaltar que ser mais direto não significa ser superficial. Muito pelo contrário, você pode promover um conhecimento aprofundado também por vídeo, basta ter foco e não se perder em palavras ou em contextualizações desnecessárias. 

Uma boa dica aqui é criar um roteiro. Você pode tanto segui-lo à risca, como pode tê-lo apenas como base para saber se todos os tópicos que quer abordar estão sendo lógicos e coerentes com o propósito de sua aula. 

Crie seu conteúdo 

Não pense no que você acha interessante, mas sim no que sua audiência deseja. Para tanto, você pode criar, intuitivamente, pautas que sejam relevantes a ela. Também pode buscar no Google Trends, sobre as tendências de busca do seu nicho e, apresentar um ponto de vista diferenciado, sobre os assuntos mais buscados. 

O seu conteúdo deve ser atraente, falar a mesma língua que seu público e, de quebra, resolver seus problemas. 

Ele também deve ter começo, meio e fim, e contar uma história. Para entender o poder do storytelling em seu conteúdo e conhecer dicas sobre ele, sugerimos que assista ao vídeo a seguir. 

Use recursos visuais 

Uma forma bastante eficaz de valorizar o seu conteúdo é trazer em cena elementos visuais, como gráficos e infográficos, que o complementam. 

Os recursos visuais facilitam o aprendizado. Basta pensarmos que o cérebro humano processa 60.000 mais rápido imagens do que textos

Sem falar que os elementos visuais dão um ar mais profissional para as suas aulas. Além disso, eles demonstram o seu zelo e dedicação na hora da criação, o que dá aos alunos uma percepção de exclusividade. 

Como criar um curso EAD na prática? Dica bônus 

Ao longo desse texto, você conheceu dicas importantes sobre como criar um curso EAD na prática, não é mesmo? Mas como queremos que sua jornada seja completa e bem-sucedida, apresentamos mais uma: abrace uma boa plataforma. 

Ter uma ferramenta tecnológica, como a EAD Plataforma, como aliada, permite que você tenha uma visão completa de seu curso, o administre de forma fácil e acompanhe o desempenho de seus alunos de perto. 

Ela também promove o engajamento, pois possibilita que você ofereça aulas ao vivo, por meio de um chat em tempo real, oferecendo uma comunicação bem mais próxima e pessoal. 

O resultado disso? Uma experiência de ensino sem dor de cabeça para você e o melhor aproveitamento de seus alunos. 

Para saber como a EAD Plataforma funciona, faça um teste gratuito agora mesmo!

Fabio Godoy