como-fazer-roteiro-video-aula

Como fazer um roteiro de vídeo aula? 5 dicas práticas e efetivas

O consumo de vídeos está em alta — e a popularidade do recurso não para de crescer! Diante de uma informação dessas, saber como fazer um roteiro de vídeo aula pode te ajudar a transformar seu conteúdo em estratégia, e, assim, engajar e motivar seus alunos EAD

De acordo com o relatório The state of video marketing, 95% dos profissionais de marketing dizem que os vídeos representam uma parte relevante de sua estratégia. Ao mesmo tempo, 92% dos cursos EAD usam teleaulas como recurso de aprendizagem principal. 

Entende como essas duas informações se completam e atestam a importância de criar um bom roteiro de vídeo aula para garantir um conteúdo engajante e estratégico?

No artigo de hoje, falaremos sobre como fazer um roteiro de video aula para criar conteúdo de forma efetiva e descomplicada em 5 passos: 

1: Escolha o melhor modelo de roteiro

2. Escreva de forma simples e assertiva

3. Calcule a duração da vídeo aula

4. Revise

5. Luz, câmera, ação! 

Boa leitura! 

Tipos de roteiro: qual é o ideal para você?

Antes de partirmos para a explicação de como fazer um roteiro de vídeo aula, é importante entendermos qual o modelo ideal para o seu caso. 

Isso porque o roteiro é o guia de gravação de qualquer conteúdo audiovisual, e deve se adequar ao resultado buscado. 

Quer ver como isso acontece na prática? Então acompanhe os exemplos a seguir. 

Storyboard

O storyboard é conhecido como o “roteiro da animação”. Ele é peça-chave para criar vídeos animados, e é usado até por quem trabalha com outros tipos de produção de conteúdo audiovisual, que não a animação.

Isso porque o storyboard é uma opção de roteiro bastante detalhada e visual, o que ajuda a criar perspectivas sobre o trabalho realizado, testar montagens de cenário, movimentos de câmera e posições dos atores/personagens. 

E não pense que, para criar um roteiro desenhado, é necessário ter um conhecimento profundo de técnicas de desenho! O mais importante, na verdade, é conseguir criar uma projeção visual do conteúdo. Para isso, vale usar símbolos, códigos, esboços e legendas. 

Veja no vídeo a seguir um passo a passo de como criar seu storyboard: 

Roteiro simples (de texto direto)

O segundo tipo de roteiro é conhecido como “roteiro de texto direto”. A ideia é que ele descreva de forma contínua as cenas, diálogos, narrações e detalhes importantes para a gravação, se assemelhando a uma redação detalhada. 

Se você for gravar sua vídeo aula com a ajuda de uma equipe, possivelmente este não será o melhor modelo para utilizar. Isso porque o texto corrido pode tornar o entendimento do conteúdo menos pragmático, e objetividade é um dos atributos mais importantes de um roteiro, especialmente quando falamos de times multiprofissionais. 

Entretanto, o roteiro simples é bastante utilizado no cinema como guia para os atores, já que ajuda no processo de memorização das falas.

Aqui está um exemplo do clássico roteiro de texto corrido: 

Fonte: Palpites de Redator

Roteiro técnico

Por fim, temos o modelo mais popular de roteiro para vídeo aula ou outro tipo de produção audiovisual: o roteiro técnico.

O roteiro técnico pode ser feito de duas formas: 

  • 2 colunas: o roteiro de duas colunas divide o conteúdo da produção em áudio e vídeo. O conteúdo em áudio ocupa a primeira coluna do roteiro, enquanto as imagens correspondentes àquela narração ocupam a segunda. A ideia é criar o roteiro de forma sincronizada, associando cada fala a seu tempo no vídeo, assim como cada imagem à fala ou ação descrita. 
  • 5 colunas: o roteiro de 5 colunas é mais complexo, geralmente utilizado em produções que demandam maior nível de detalhamento para garantir a compreensão de cada etapa da gravação. 

Suas colunas determinam o número da cena, o texto falado, o personagem responsável pela fala, os letterings — textos de apoio que aparecem na tela — e o descritivo da cena. 

Veja aqui exemplos de roteiros de 2 e 5 colunas.

Como fazer um roteiro de vídeo aula? 

Agora que você já sabe quais as diferentes opções de montagem, chegou a hora de descobrir, na prática, como fazer um roteiro de vídeo aula. 

Lembre-se de que um bom roteiro é fundamental para garantir que a elaboração do conteúdo EAD seja bem-sucedida, e que este tipo de conteúdo digital seja assimilado pelos alunos de forma satisfatória. 

1. Escolha o melhor modelo de roteiro

O primeiro passo é cruzar sua ideia de vídeo com os modelos de roteiro disponíveis, entendendo qual deles se conecta melhor à produção. A seguir, listamos algumas das perguntas que podem orientar uma escolha assertiva da escolha do melhor tipo de roteiro: 

  • qual o formato da minha vídeo aula? 
  • terei algum recurso multimídia, como desenhos ou animações?
  • usarei alguma câmera para gravar os vídeos ou um software direto do computador?  
  • terei algum tipo de cenário para o vídeo? Esse cenário será fixo ou terá alterações? 
  • a gravação acontecerá com o apoio de uma equipe ou será feita individualmente?
  • como será o processo de finalização do material? terei ajuda de editores de vídeo
  • o vídeo contará com alguma participação especial no estilo webinar

As respostas ajudarão a entender a complexidade do vídeo e a necessidade de um roteiro mais simples ou mais elaborado para executar o material com sucesso. 

2. Escreva de forma simples e assertiva

O segundo passo para entender, na prática, como fazer um roteiro de vídeo aula é focar na importância da linguagem simples e assertiva. 

Sabemos que muitos tutores, ao gravarem suas vídeoaulas, acabam se perdendo em seu discurso e tornando o conteúdo uma réplica exata de uma aula presencial. 

Porém, é importante ter em mente que o ambiente digital tem suas características próprias (como o dinamismo e o alto volume de informações ao alcance das mãos — o que dificulta a concentração), e, por isso, precisa de um material desenvolvido de acordo com as demandas de seus usuários. 

Uma boa videoaula fala a linguagem do aluno. É leve, objetiva e descontraída na medida do possível. A imagem do professor sério e engomado está cada vez mais obsoleta, e a alternativa para manter o interesse dos alunos no conteúdo é descobrir maneiras de engajar de forma humanizada.

Veja abaixo um exemplo de vídeo aula simples e engajante: 

3. Calcule a duração da vídeo aula

Saber como fazer um roteiro de vídeo aula possibilita o cálculo da duração do módulo de aprendizado, fator importante para ajudar no engajamento dos alunos. 

De acordo com um estudo publicado no portal da Abed, o tempo médio ideal de duração de uma vídeoaula, na opinião dos alunos, está entre 20 e 30 minutos. O YouTube, entretanto, determina que o tempo médio de retenção de usuários assistindo a um mesmo vídeo na plataforma é de 7 minutos

O ideal é levar ambos os dados em consideração na hora de produzir o roteiro e calcular um tempo médio entre os dois índices apontados.

4: Revise

Finalizou o roteiro? Acha que é hora de gravar? Ainda não! 

Antes de colocar a mão na massa, faça uma boa revisão no conteúdo escrito. 

Isso ajudará a garantir a qualidade do conteúdo e, de quebra, evitará pausas e cortes desnecessários no processo de captação das imagens. 

5. Luz, câmera, ação! 

Agora sim, é hora de silêncio no estúdio e mãos à obra! 

Entender como fazer um roteiro de vídeo aula é o primeiro passo para produzir conteúdos de qualidade para as suas aulas online. Mas sabe o que também não pode ficar de fora durante a preparação do seu curso online? Um excelente plano de aula!Pensando nisso, deixamos aqui nossa sugestão de leitura: 8 dicas imperdíveis para aprender como fazer um plano de aula EAD!

Fabio Godoy