plano de aula para curso ead

Plano de aula para curso EAD: um guia com 9 itens que não podem faltar

Você já definiu que adoraria dar aulas pela internet, mas ainda não tem ideia por onde começar? Fique tranquilo, porque isso é supernormal! Saiba que o primeiro passo (e talvez o mais importante) é montar um bom plano de aula para curso EAD.

Mais do que um simples documento, o plano é a base do seu negócio – e pode te ajudar a corrigir a rota caso algum imprevisto surja no meio do caminho.

Se você quer começar o seu curso com o pé direito, continue a leitura! Separamos dicas exclusivas que ajudarão bastante. Confira!

Primeiro, para que serve um plano de aula para curso EAD?

Bem simples e direto: um plano de aula para curso EAD serve para te guiar do início ao fim – é basicamente como um roteiro. Ou seja, com ele você sabe o que fazer (e em que momento fazer!).

Recentemente, postamos aqui no blog uma matéria com 8 passos para criar um plano de aula de curso EAD. O conteúdo está supercompleto e te ensina certinho cada etapa. Se você ainda não leu, corre lá!

Hoje, seremos mais objetivos – e a ideia é complementar o artigo dos 8 passos. Vamos começar!

9 itens que não podem faltar no seu plano de aula para curso EAD

1. Alma do curso

Você já definiu o tema do seu curso, certo? Ótimo! Agora, o que pode parecer um pouco mais complexo é definir a alma – em outras palavras, a proposta de valor do seu negócio. 

Para que o seu curso existe? Que bem ele fará ao mundo? O que de diferente (em relação aos concorrentes) ele tem a oferecer?

Procure responder a essas perguntas para chegar a uma frase (simples e poderosa), que o ajudará a mantê-lo no rumo certo.

Quer ver algumas ideias para se inspirar?

Leia aqui: Como construir uma proposta de valor para a EAD em 3 passos

2. Definição do público

O seu curso é para crianças, jovens, adultos ou idosos? Essas pessoas moram em qual região geográfica? Quais são os gostos e costumes delas?

Tudo bem, muitas vezes o público pode parecer genérico e difícil de saber. Mas colocar uma base “ideal” desse item no seu plano de aula para curso EAD ajuda a não fugir muito da proposta.

Assim, você consegue ter uma ideia da expectativa do seu público – e tem como proporcionar uma experiência do cliente cada vez melhor.

3. Formato das aulas

As aulas serão ao vivo ou só gravadas? Ou, quem sabe, uma mescla dos dois formatos? Depois de definir isso, qual ferramenta você vai usar para transmitir o conteúdo?

Enfim, aqui você pode considerar desde plataformas de hospedagem de vídeos até aplicativos do tipo “reunião” – como o Zoom e o Meet – ou, quem sabe, suas próprias redes sociais.

4. Cronograma de conteúdos

Montar um cronograma de conteúdos vai muito além de uma aula isolada. Ele precisa conter um escopo coerente, com começo, meio e fim – e que não deixe pontas soltas.

Por exemplo, se você der aulas de inglês, que metodologia de ensino você vai seguir? O conteúdo será dividido entre básico, intermediário e avançado? Quanto tempo você vai usar para cada assunto – como pronomes, verbos e vocabulário?

Também é essencial, aqui, definir o método de avaliação. Haverá provas a cada final de módulo ou só no fim do curso? 

Ter isso em mente te ajuda (e muito) a cumprir com o plano de aula sem problemas!

5. Materiais de apoio

Nem só de vídeos vive um curso EAD! Claro, cuidar da gravação (falaremos melhor sobre isso mais abaixo) é fundamental – mas também é necessário pensar em materiais complementares.

Seus alunos vão acompanhar o curso por uma apostila? Por um ebook? Por um livro, talvez? Enriquecer as suas aulas com materiais de apoio ajuda a melhorar o engajamento – e a diferenciar o seu curso.

6. Equipamentos para gravação

Colocar na ponta do lápis cada equipamento, já no plano de aula, te dá tempo para fazer cotações em lojas diferentes. Ou seja, você consegue economizar – e, ao comprar um bom equipamento, provavelmente não terá dor de cabeça mais pra frente.

Mas como escolher todos os equipamentos necessários? Por mais que varie para cada tipo de curso, alguns itens básicos são:

  • computador com boa memória e capacidade de processamento;
  • câmera de vídeo (ou mesmo uma webcam) – melhor ainda se filmar em HD;
  • tripé para apoio da câmera;
  • microfone de lapela.

Ah, e uma boa conexão de internet, combinado? Principalmente se você for transmitir online, isso é primordial.

7. Ferramentas digitais 

Refinar os vídeos e cuidar da organização do seu curso são coisas que fazem a diferença. A boa notícia é que hoje existem muitas ferramentas disponíveis na internet – e muitas delas são gratuitas e bem fáceis de mexer. 

No seu plano de aula para curso EAD, vale a pena contemplar os softwares abaixo.

Um editor de vídeo 

Há boas opções por aí! Entre elas, o ClipChamp, que é online e traz uma série de templates de vídeo já prontos.

Um organizador de tarefas 

Aqui vai uma superdica: o Trello usa a metodologia kanban e é customizável, de acordo com suas necessidades. Ou seja, você pode usá-lo como agenda ou como controlador de aulas e outras demandas.

Um software de edição de imagens 

Se você já tiver experiência com design (e entender do Photoshop), ótimo! Caso não, alguns apps (como o Trakto) são bem simples e atendem muito bem as demandas de postagens em redes sociais e materiais de comunicação em geral.

Um aplicativo de armazenamento na nuvem 

O Google Docs é uma boa opção, já que te oferece desde simples editores de texto até tabelas e apresentações de PPT. E o melhor: você pode acessar de qualquer lugar, em vários dispositivos!

Quer conhecer outras ferramentas? Dá uma olhadinha neste artigo:

8. Precificação

Definir o seu preço pode não parecer tarefa fácil. Mas considerar alguns pontos ajuda bastante! Por exemplo, você pode começar fazendo um cálculo dos seus gastos com a estrutura – desde o cenário e os equipamentos até o uso de ferramentas complementares.

Também é essencial estudar o seu público. Valores muito fora do poder de compra podem afugentar os alunos (mas preços muito baixos também podem não passar a confiança necessária).

Quer saber mais sobre a definição do preço? Criamos um vídeo que explica os detalhes:

9. Ações de marketing e vendas

Antes de finalizar o seu plano de aula para curso EAD, não se esqueça das estratégias de divulgação. Você pode definir uma verba mensal para direcionar ao marketing digital – como os anúncios em redes sociais, no Google e em outras plataformas.

Além de sair mais em conta do que as mídias tradicionais (como revista, TV e jornal), esse tipo de propaganda costuma ser mais assertivo.

Leia também: 6 dicas quentes de marketing digital para empreendedores: saiba se posicionar online!

Item bônus: uma plataforma de gestão EAD

Para finalizar, é importante você contemplar uma plataforma EAD, que te ofereça desde a hospedagem de vídeos até os recursos de venda, aplicação de provas, geração de boletos e gerenciamento completo de matrículas.

Por falar nisso, você já conhece a EAD Plataforma? São diversos recursos pensados para oferecer o máximo de tranquilidade para você. Interaja com nossa estrutura bem de perto: comece com um teste gratuito de 7 dias!

Fabio Godoy