como-empreender-tempos-crise

Como empreender em tempos de crise? Desafios e oportunidades

“A vida não consiste em ter boas cartas na mão, e sim jogar bem com as que tem”. Esta frase, dita pelo humorista americano Josh Bilings, diz muito sobre como aproveitar situações adversas, como empreender em tempos de crise, para explorar os recursos e possibilidades que temos na mão. 

Vivemos em um país onde o micro e pequeno empreendedorismo simbolizam uma parte muito significativa da economia. De acordo com o SEBRAE, são mais de 13 milhões de pequenos negócios empregando mais de 21 milhões de pessoas. Em tempos de crise, são estes os setores que mais sofrem — e também os que veem mais chances de se reinventar.

No artigo de hoje, falaremos sobre como empreender em tempos de crise, enxergando oportunidades em meio a desafios. Falaremos sobre: 

  1. Planejamento é a chave
  2. Leve a inovação a sério
  3. Não se esqueça do impacto social
  4. Tenha bons parceiros 
  5. Saiba negociar 

Vamos juntos? 

Principais desafios e grandes oportunidades

Ninguém espera enfrentar uma crise. Seja ela econômica, de saúde, pessoal ou até mesmo familiar. A essência de uma crise é a desestabilização daquilo que já estava consolidado, ou caminhava para isso. 

Para você ter uma ideia, a crise do COVID-19, enfrentada em escala global desde dezembro de 2019, gerou uma queda de 53% nos resultados do setor de varejo em abril de 2020. 

A verdade é que toda vez que enfrentamos situações de incerteza, precisamos rever nossas relações e padrões. Entender como empreender em tempos de crise tem muito a ver com isso: reflexão e aprendizado. 

Crises geram mudanças nos padrões de consumo…

O principal impacto percebido em uma crise — aqui, mais uma vez, falamos de qualquer tipo de crise — é uma mudança nos padrões. Quando a crise impacta a economia, a mudança mais radical é sentida na forma como os consumidores adquirem seus produtos. 

E isso inclui qualquer tipo de produto: varejo, estética, EAD, produtos digitais etc. 

O primeiro movimento é de retração. 

Com medo do que vem pela frente, a tendência é que os consumidores tirem o pé do acelerador e diminuam seu ritmo de compra. 

Porém, o que acontece depois é um movimento bem interessante. Os padrões se transformam, e o modelo de consumo é adaptado para um novo cenário. 

Quer alguns exemplos? 

A pesquisa do SEBRAE que mencionamos acima traz alguns exemplos dos principais impactos sentidos pelos setores diante de uma crise: 

  • Comércio varejista: diante de uma crise econômica, o primeiro impacto sentido no setor é o da redução de consumo. Porém, com o avanço do tempo, as maneiras de consumir se adaptam a um “novo normal”: aprender como vender online e investir em parceiros, fornecedores e produtores locais estão entre os possíveis impactos. 
  • Educação: a recente crise provocada pelo novo vírus, por exemplo, revolucionou o mercado da educação. Ações nas escolas contra o coronavírus envolveram adoção em ampla escala de AVA – Ambientes Virtuais de Aprendizagem e transmissões ao vivo para substituir as aulas. 
  • Saúde: os impactos percebidos na saúde são diretamente proporcionais ao viés da crise enfrentada. Entretanto, por representar um setor de primeira necessidade, é comum que os impactos sentidos no setor não sejam tão expressivos quanto os que vimos, por exemplo, no varejo. 

…mas abrem portas para a criação de negócios com mais propósito! 

Em todos os casos mostrados acima, a solução para contornar os impactos e entender como empreender em tempos de crise é uma só: repensar a lógica de venda e o modelo de negócio, ou seja: dar um novo propósito ao empreendimento. 

Para entender melhor como ressignificar seu negócio e como empreender em tempos de crise, temos duas recomendações: 

A primeira delas é ouvir o podcast de Pedro Quintanilha, do Mentalidade Empreendedora, sobre como fazer negócios em tempos de crise: 

Depois disso, continue a leitura e acompanhe nossas 5 dicas para entender como empreender na crise! 

Como empreender em tempos de crise? 

A seguir, você confere 5 dicas essenciais para empreender em tempos de crise, seja qual for seu segmento de atuação. 

1. Planejamento é a chave

Antes de iniciar qualquer negócio em qualquer circunstância, é fundamental dedicar tempo e atenção à etapa de planejamento. Suponhamos que sua ideia seja abrir uma escola de cursos livres

Ao tomar a decisão do negócio, é fundamental entender como seu produto está inserido no mercado. O segmento de educação a distância, que já cresce naturalmente no Brasil, tende a ganhar mais espaço diante da crise, especialmente por ser uma alternativa com bom custo benefício e por possibilitar autonomia para os alunos. 

Ainda assim, é recomendado estudar a fundo o mercado e, diante de uma crise, entender quais são as tendências de comportamento do consumidor do seu produto. Isso ajudará a encontrar o melhor formato para o seu material e as melhores estratégias para captar alunos EAD

Também na etapa de planejamento, é importante criar uma planilha rica e completa com todos os custos fixos e variáveis do negócio. 

Para te ajudar a montar um modelo de negócio que ajude a empreender em tempos de crise, indicamos duas ferramentas: 

  1. O Modelo Canvas de negócio, que permite o mapeamento dos principais aspectos estratégicos do empreendimento:
  1. O uso de softwares de gestão financeira, como o Conta Azul.

2. Leve a inovação a sério

O conceito de inovação deve ser o guia para entender como empreender em tempos de crise. A melhor definição do termo diz que inovação é a soma da oportunidade com a necessidade. Isso significa que bons negócios aliam momentos oportunos com a chance de atender a uma demanda já existente. 

Vamos resgatar o nosso exemplo: criar uma escola de cursos online é uma forma de inovar em tempos de crise, pois atende a uma demanda (a de educação) e aproveita uma oportunidade (um contexto global de digitalização e a tendência à realização de atividades cada vez mais autônomas). 

3. Não se esqueça do impacto social

Ser uma empresa com papel verdadeiramente relevante no mundo em que vivemos deixou de ser dever de poucos para se tornar a obrigação de todos. 

Pesquisas mostram que os consumidores estão valorizando o impacto social e o posicionamento de sustentabilidade das empresas com mais intensidade do que nunca. Um exemplo é o estudo realizado pela Fleishman Hillard, que mostrou que:

  • 47% dos consumidores preferem empresas que criem soluções para reduzir seu impacto nas mudanças climáticas e meio ambiente;
  •  42% que promovam soluções que impactem na saúde e no bem-estar dos consumidores.

4. Tenha bons parceiros 

No mundo globalizado, ser um empreendedor autossuficiente é uma realidade quase inexistente. Em vez de tentar encarar o desafio de empreender na crise de forma individual, valorize as parcerias. 

Tenha fornecedores escolhidos a dedo, contrate quem tem vontade de vestir a camisa e acredita no projeto do negócio. Aposte em alternativas diferentes para divulgar seu produto digital: leve convidados para fortalecer seu empreendimento em um webinar de divulgação, aposte em influenciadores digitais para experimentar e ajudar a divulgar a marca. 

Como diria o poeta John Donne: nenhum homem é uma ilha. E, se você busca dicas sobre como empreender na crise, precisa saber que essa é a primeira máxima a ser desconstruída. 

5. Economize com sabedoria

Por fim, uma dica de caráter prático e operacional, mas muito importante: saiba negociar e conseguir as melhores condições para adquirir insumos e ferramentas para tornar seu empreendimento possível. 

Lembra do nosso exemplo de escola de cursos online? Uma boa forma de economizar com sabedoria é fazendo buscas de ferramentas baseadas em custo-benefício. 

Ter uma plataforma EAD, por exemplo, é essencial para colocar os cursos no ar. O objetivo, então, deve ser pesquisar as ferramentas mais completas com as melhores condições possíveis no mercado. 

Se você já quer colocar em prática nossas dicas sobre como empreender na crise, e seu negócio está relacionado à educação a distância, aproveite para conhecer a EAD Plataforma. 

Temos um pacote de teste com 7 dias gratuitos. Ele é perfeito para conhecer nossas funcionalidade e se encantar com esse sistema que já soma mais de 2 milhões de usuários! 

Fabio Godoy