licenciamento-produtos-digitais

Licenciamento de produtos digitais: entenda este promissor mercado

Você já ouviu falar em licenciamento de produtos digitais? Se trabalha neste setor ou pensa em desenvolver o seu próprio produto digital, o termo deve ter despertado sua atenção, não é mesmo? 

A verdade é que, mesmo para quem não se especializa em produção de conteúdo, o licenciamento de produtos digitais pode ser um negócio interessante. Trata-se da aquisição de direitos de um material (desenvolvido por você ou por outra pessoa) para venda e reprodução. 

O processo já é bastante comum em produtos audiovisuais (como músicas e filmes), mas está ganhando popularidade também com os infoprodutos. De acordo com a Abral (Associação Brasileira de Licenciamento), a expectativa era de um crescimento de até 4% do mercado em 2019, e um faturamento de até R$18 bilhões para grandes empresas que lançam produtos tematizados

Quer entender mais sobre o mercado do licenciamento de produtos digitais? Então continue a leitura! 

O que é licenciamento de produtos digitais? 

Você viu na introdução que o conceito de licenciamento é semelhante para produtos físicos ou digitais. De forma breve, licenciamento de produtos digitais é a aquisição de direitos que possibilitam a comercialização de um infoproduto

Embora o conceito seja semelhante, o meio digital conta com alguns jargões e expressões bem particulares ao ambiente tecnológico. Se você acompanha o blog da EAD Plataforma, já conhece alguns deles.

De toda forma, a seguir você confere uma breve lista com alguns dos termos (e dicas de leitura) que te ajudarão a entender melhor o “glossário dos produtos digitais” :

  • Produto digital: um produto digital é uma solução informativa, produzida e/ou divulgada por canais online;
  • DRM: abreviação para Digital Rights Management, DRM é um conjunto de tecnologias de controle de acesso capaz de aplicar restrições de uso, reprodução (cópia) e distribuição de determinados produtos digitais;
  • Direitos autorais: leis que regem os direitos do autor sobre sua obra. 

Agora que você domina as principais expressões do mundo do licenciamento de produtos digitais, é hora de entender, na prática, como funciona o processo. 

Como licenciar um produto digital?

O mercado de licenciamento de produtos digitais está ganhando espaço no Brasil, mas em outros países, como os Estados Unidos, já é uma prática recorrente. Não à toa, o processo ganhou uma sigla que caracteriza a atividade: PLR (Private Label Rights, ou Direitos de Marca Própria). 

De forma resumida, a ideia é que o licenciador busque produtos digitais com licença para revenda, adquira esta licença e invista no marketing do infoproduto para divulgá-lo e encontrar novos compradores. 

Para licenciar produtos estrangeiros, por exemplo, o fluxo ocorre da seguinte forma: 

  1. O comprador busca por infoprodutos na rede (a busca pode acontecer em buscadores como o Google, por exemplo). O segredo, neste caso, é utilizar palavras-chave que ajudem a localizar o produto de seu interesse;
  2. ao encontrar sites que revendem o produto digital de interesse do comprador, será necessário fazer um cadastro para efetuar a compra;
  3. a compra geralmente é feita por meio de um cartão de crédito internacional ou pelo PayPal;
  4. com a transferência efetuada, o comprador recebe um link para download do infoproduto
  5. a partir deste momento, ele detém a licença daquele material, e pode fazer ajustes e alterações conforme achar necessário (inclusive traduzir produtos disponibilizados em outros idiomas); 
  6. após a compra, o produto poderá ser comercializado e revendido em plataformas específicas, assim como disponibilizado como material complementar em webinars, palestras e cursos online

Viu como não é um processo demorado?

A agilidade na negociação é apenas uma das vantagens de trabalhar com o licenciamento de produtos digitais. A seguir, falaremos sobre mais algumas delas.

Vantagens de licenciar produtos digitais

Trabalhar com licenciamento de produtos digitais pode ser estratégico para quem busca maneiras confiáveis para disponibilizar conteúdos online. Além disso, abre uma janela de possibilidades para quem tem interesse em revender conteúdos já desenvolvidos sobre diversos assuntos. 

Além disso, o licenciamento de produtos digitais: 

  • aquece o mercado de infoprodutos no Brasil, colocando novos conteúdos em circulação em maior escala; 
  • não exige alto investimento financeiro;
  • confere ao comprador domínio sobre um material por tempo ilimitado;
  • ajuda a incrementar estratégias de venda de produtos mais caros (como cursos EAD);
  • torna possível a disponibilização do material de forma legal em plataformas EAD e AVA – Ambientes Virtuais de Aprendizagem
  • permite a revenda por um valor determinado pelo próprio detentor da licença; 
  • possibilita a criação de uma rede de afiliados para fortalecer a revenda. 

Exemplos de produtos digitais disponíveis para licenciamento

Neste artigo, falamos sobre os passos essenciais para investir em licenciamento de produtos digitais estrangeiros. 

Agora, vamos mostrar alguns exemplos de portais confiáveis para adquirir infoprodutos de diversos segmentos. 

  • IDplr: o IDplr é um site com mais de 12 mil infoprodutos para licenciamento; 
  • Resellers Superstore: a Resellers Superstore conta com um acervo de 11.500 e-books, além de um acervo próprio de vídeos e artigos; 
  • CoachGlue: o portal CoachGlue é especializado em artigos de autoajuda e mentorias

Agora que você já conhece toda a jornada de licenciamento de produtos digitais, que tal mergulhar nas etapas principais da criação de um infoproduto? Neste artigo, mostramos 7 passos essenciais para criar um produto digital e organizar as vendas online! 

Fabio Godoy