Como montar um treinamento EAD

Passo a passo: como montar um treinamento EAD em 5 etapas?

Quer saber como montar um treinamento EAD, mas não sabe por onde começar? Segundo a Forbes, a educação a distância é “um modelo que só cresce”. Sendo assim, confira 5 passos práticos para alavancar os resultados das suas ações formativas. 

Aliás, independente de ter uma universidade corporativa, essas dicas de como montar um treinamento EAD valem para todas as empresas. Por sinal, o vídeo a seguir aponta as vantagens dessa estratégia, incluindo a redução do turnover e o aumento da motivação.

Mas como montar um treinamento EAD começando do zero?

Antes do passo a passo sobre como montar um treinamento EAD, é fundamental levar em conta três pontos-chave.

Educação corporativa versus treinamento

Para começar, vale conceituar a diferença entre educação corporativa e treinamento. Isso porque a educação corporativa abrange um conjunto de práticas focadas no desenvolvimento do quadro funcional. Já o treinamento é uma das possibilidades dentro do amplo projeto de capacitação contínua.

Custo-benefício

Além de inclusão, produtividade, autonomia e flexibilidade, uma das vantagens do EAD é a acessibilidade. E isso se aplica tanto à economia expressiva dos cursos online, quanto à superação das distâncias. Principalmente para instituições que têm muitas filiais e franquias.

Tipos de treinamento empresarial

Para descobrir como montar um treinamento EAD, é preciso escolher qual será o formato e o propósito da ação formativa. Dentre os principais tipos de treinamento corporativo online, podemos citar: 

  • Integração: também conhecida como onboarding, serve para receber os recém-contratados e integrá-los à cultura organizacional;
  • Operacional: funcionamento de máquinas, uso de softwares, funcionalidades de produtos, simulação de procedimentos etc.;
  • Mentoria: orientação personalizada para aprimorar suas habilidades e competências, equilibrando as hard skills e soft skills;
  • Institucional: alinhamento das equipes com o planejamento estratégico, reforçando os valores e as normas que regem a companhia;
  • Motivacional: contribui para a melhoria do clima organizacional, à medida que amplia a aderência à filosofia institucional;
  • Palestras: especialistas de cada área podem compartilhar seus conhecimentos e experiências via webinar ou webconferência.

5 passos práticos para saber como montar um treinamento EAD

Listamos 5 etapas para te ajudar na concepção e na execução das ações formativas. Afinal de contas, “como montar um treinamento EAD” não precisa ser um bicho de sete cabeças, certo? Agora, vamos colocar a mão na massa!

1. Contrate uma plataforma de e-learning

Uma plataforma de ensino eficaz costuma ser uma poderosa aliada da educação continuada. Em outras palavras, as tecnologias propiciam um amplo rol de opções para desenvolver pessoas, otimizar custos e garantir o crescimento sustentado das organizações.

Na EAD Plataforma, por exemplo, temos diversos recursos para treinar equipes e acompanhar a performance. Além de dispor da biblioteca virtual, pode-se dar aulas ao vivo, aplicar testes e ainda realizar a integração API, entre outras funcionalidades. 

2. Defina o foco do treinamento

Por meio dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA), é possível segmentar ações, conforme: objetivo, setor, resultado esperado e outras variáveis. Dessa forma, o acesso fica restrito àqueles que foram convidados para uma certa atividade. 

Se a equipe comercial tem tido dificuldades para cumprir metas, você pode apresentar novas técnicas de vendas. Em paralelo, é essencial prevenir acidentes, demonstrando o manuseio adequado dos equipamentos para os operadores. E assim por diante.

3. Organize a estrutura

Tendo definido qual é seu foco, o próximo passo de como montar um treinamento EAD consiste na estruturação. Se for uma capacitação de curta duração, sugerimos o microlearning, com “doses homeopáticas” de informação.

Em todo caso, é vital roteirizar seu material de acordo com o período programado, o tempo de cada aula, os módulos e afins. Que tal começar organizando suas ideias em uma lista? 

4. Prepare conteúdos de qualidade

O ponto aqui é enriquecer a trilha de aprendizagem e promover o engajamento. Logo, pense em diversificar os conteúdos digitais: videoaula, e-book, gamificação, podcast e outros. E aposte também nas técnicas de storytelling para contar histórias envolventes.

Então, selecione os recursos audiovisuais que serão necessários para criar seu infoproduto, considerando pré e pós-produção. Para exemplificar, se você decidiu gravar aulas EAD, é importante se atentar para: roteiro, maquiagem, iluminação, equipamentos e ambientação. 

Por falar no cenário, preparamos um infográfico prático para ambientar seus produtos digitais de maneira assertiva.

5. Acompanhe o desempenho

São diversas opções de indicadores para avaliar o desempenho das ações formativas. E, se for o caso, ajustar o leme, para melhorar os resultados. Seguem algumas das métricas de treinamento e desenvolvimento (T&D): 

  • Aproveitamento individual: mede a aplicação prática dos conhecimentos que foram obtidos;
  • Taxas de adesão e de abandono: mensura a participação efetiva em contraponto ao percentual de colaboradores que não concluiu as atividades;
  • Custo per capita: calcula o valor investido no desenvolvimento de cada funcionário;
  • Retorno sobre o investimento (ROI): compara o resultado do curso com o investimento que foi feito;
  • Avaliação de reação: acompanha a percepção dos participantes diante de inúmeros aspectos (tempo do curso, didática, formato das aulas etc.);
  • E outras.

Por fim, agora que você já sabe como montar um treinamento EAD do zero, que tal falar conosco para implantar o e-learning na sua empresa? Aproveite também para testar as funcionalidades por 7 dias grátis e conferir outros conteúdos no Blog!

Fabio Godoy