Mercado de infoprodutos no Brasil

Mercado de infoprodutos no Brasil: desafios e oportunidades!

Aquilo que antes era uma tendência, agora virou necessidade: a pandemia do coronavírus acelerou o crescimento do mercado de infoprodutos no Brasil. De acordo com a Global Consumer Insights Survey 2020, da PwC, 45% das pessoas passaram a usar o celular como canal de compras, desde que começou a emergência sanitária. E isso inclui o mobile learning.

Nessa perspectiva, o e-commerce ganhou 5,7 milhões de consumidores, superando a “desconfiança” que existia antes do isolamento social. Em outras palavras, o comércio digital passou a ser uma prioridade, o que abre espaço para os produtos digitais, já que muitas pessoas buscam novos aprendizados, com o objetivo de empreender e driblar a crise da covid-19.

Continue conosco para conhecer o panorama do mercado de infoprodutos no Brasil, incluindo os desafios e as oportunidades. Aqui na EAD Plataforma, por exemplo, apuramos uma alta de 300% na busca pelos recursos de e-learning!

Os desafios do mercado de infoprodutos no Brasil

Antes de abordar os desafios do mercado de infoprodutos no Brasil, vamos começar pelo conceito. Para resumir, um produto digital, também conhecido como infoproduto, é uma solução de teor informativo, cuja produção e veiculação acontece por canais eletrônicos. Além disso, pode ser comercializado ou distribuído gratuitamente, conforme a estratégia de marketing.

E quais são esses desafios da criação e divulgação dos produtos digitais?

Quando falamos do mercado de infoprodutos no Brasil, é importante levar em conta:

  • Acessibilidade: diante do fechamento das instituições de ensino para as aulas presenciais, 8,7 milhões de alunos não tiveram acesso às atividades remotas. Por outro lado, o investimento no ensino a distância (EAD) pode contribuir para a democratização do acesso à informação e a inclusão social;
  • Profissionalização: de fato, há uma ampla oferta de produtos digitais, mas nem todos são feitos por profissionais especializados nas respectivas áreas. Afinal, é possível começar com os recursos que se tem à disposição no momento e, depois, investir em equipamentos e experts nos diversos tipos de conteúdos digitais;
  • Indicadores: é essencial definir e acompanhar métricas assertivas, seja no marketing digital, no treinamento de colaboradores e em outras ações estratégicas. Dessa maneira, você pode avaliar o desempenho das iniciativas e ajustar o leme, se for o caso;   
  • Licenciamento: você sabia que é preciso adquirir os direitos autorais antes de comercializar um infoproduto? Muitas pessoas não sabem desse “detalhe” e, com isso,  deixam de lucrar com os royalties. 

Aliás, segundo a Associação Brasileira de Licenciamento de Marcas e Personagens (Abral), “o Brasil está entre os seis países com maior faturamento em licenciamento de marcas do mundo”;

  • Regularização: nesse ponto, preparamos um infográfico para demonstrar essa regularização na prática, tendo como base um negócio EAD. São dicas práticas para quem quer abrir uma empresa de cursos online:

As oportunidades do mercado de infoprodutos no Brasil

Para facilitar o entendimento do mercado de infoprodutos no Brasil, que tal um exemplo prático do canal Escola de Negócios Digitais – Siméia Pedroso? Por falar nisso, o vídeo aborda os 5 produtos digitais mais procurados: 

  1. Portal de membros (recorrência): sites de assinatura, com conteúdo exclusivo para os pagantes;
  2. Treinamento ao vivo: encontros pontuais ou programados, para interagir em tempo real com sua audiência;
  3. Mentoria: um profissional experiente compartilha as experiências com colegas que estão com dificuldades na carreira;
  4. Grupos de mastermind: diferente da mentoria, nesse caso, vários profissionais compartilham suas experiências e ideias para ajudar os demais;
  5. Cursos gravados: aulas com temas específicos, como: automaquiagem, inglês, música, personal stylist, nutrição comportamental etc.

Afinal, quais as oportunidades para criar e divulgar produtos digitais?

  • Ensino híbrido (semipresencial): essa é uma metodologia ativa de aprendizagem, que mescla as aulas presenciais com as disponibilizadas nos canais online. Então, pode ser uma estratégia interessante para: escolas, faculdades, cursos livres, universidades corporativas e até mesmo para quem dá aulas particulares
  • Custo-benefício: o investimento nos produtos digitais é muito menor em comparação aos produtos físicos. Isso porque não é necessário alugar espaços para armazenar os estoques, tratar da logística e da segurança no transporte de cargas e assim por diante.

E mais: você ainda pode ter um negócio escalável. Ou seja, paga uma única vez pela produção de conteúdo e, a seguir, obtém a renda passiva, ao comercializar o infoproduto de forma ilimitada. Assim, seu faturamento aumenta mês a mês, mas as despesas não seguem a mesma proporção.

E quanto aos nichos de atuação?

O mercado de infoprodutos no Brasil está se adaptando ao “novo normal”, isto é, aos impactos da emergência sanitária da covid-19. Por sinal, na hora de decidir em qual nicho pretende atuar, vale considerar os dados dessa mesma pesquisa de transformação do consumidor da PwC:

  • 69% das pessoas acreditam que a pandemia aumentou seu foco na gestão da saúde mental e do bem-estar. Nesse sentido, um exemplo é o curso online de meditação de cura do Heart Healing;
  • 74% dos colaboradores estão em regime de home office. Sendo assim, muitos gestores podem se interessar por um podcast que fala sobre “como criar, gerenciar e escalar uma empresa 100% remota”; 
  • 45% dos entrevistados evitam o uso de plástico, sempre que possível. Pensando nisso, você pode apostar na sustentabilidade e preparar um e-book com dicas para ser uma empresa sustentável;
  • 63% dos participantes da pesquisa estão fazendo compras de mercado por meios online. Portanto, você pode lançar um webinar para explicar como funciona a Lei Geral de Proteção de Dados, tanto para quem compra, quanto para quem vende. 

Enfim, agora que você já está por dentro do mercado de infoprodutos no Brasil, que tal criar seu produto digital? Fale com os nossos consultores agora mesmo e prepare-se para faturar na internet!

E o melhor: você ainda pode testar os recursos da plataforma por 7 dias grátis, assim como conferir outros posts do Blog para enriquecer seu infoproduto:

Fabio Godoy